Número total de visualizações de página

segunda-feira, maio 25

saudade

Um grande senhor que por estes mundos grandes e azuis, andou, costumava dizer cantando: "vida louca vida, vida imensa ninguém vai nos perdoar, nosso crime não compensa", leva-nos pra todo o lugar de culto ou prazer, busca ou perfeição, não?!

Saudades de todos os meus camaradas, do meu cantinho no Bom João, e de ser o estranho da familia :o)

Pois, agora trabalho, de segunda a sexta como alguns dos mortais. Quero inventar um negócio que me livre de acordar cedo durante a semana, 06:30 da manhã precisando. Espero detalhes e boas recomendações.

No entanto os critérios a nível da temperatura ambiente foram reajustados subindo ligeiramente a ripa. Almoço em casa todos os dias da semana, e tenho feito praia, acampo com familia e amigos de Angola. Apanhei uma barracuda da primeira vez que me fiz ao mar. Foi óptimo ou ótimo. Epá gostei.

Procuro o máximo de ideais, são coisa de valor pra mim, aqui e sempre. Vou lendo Pepetela enquanto não saio de casa pra trabalhar.

Faço ginásio e estou cada vez mais forte, quase não caibo em mim de tanta musculatura. Haviam de me ver...

Encontrei-me com mais que um amigo da terrinha por cá. Foram mais saudades...
Muitas mais saudades, mas vou escrevendo até que me esqueça... mas nunca me lembro...

...nunca me lembro de me esquecer de ti.

quarta-feira, maio 6

abaixo do equador


Lembrei-me da virada do ano de estar à beira-mar com o luar, a escutar melodias entoadas por cordas de uma guitarra ladeadas por vozes de gente que se lhes juntavam com paixão paz e descontracção.

Ali, é um lugar bem diferente de tudo o que antes havia experimentado. Com experiências simples fui acalentando o meu bem-estar.

A linguagem do corpo pode trazer e comporta as mais variadas mensagens do que aquelas que vi e vivi na Europa, isso desconforta ao início mas rapidamente percebemos a postura que se nos adequa. Por ali nunca me senti só nunca estive sozinho por mais de um minuto, proximidade é procurada a todo o custo, contudo existe um padrão de qualidade requerido.

Sente-se que a luta existe há séculos, a luta é grande e constante maior do que em qualquer outro lugar.

Lutas que já vivi, umas por ser como sou, outras por não pertencer a classe estatuto social ou raça, quase me canso de pensar as vezes sem conta que fui chamado, obrigado, forçado a prestar contas qualquer que sejam a sua natureza de postura social moral ou de simples dignidade humana.

Revi a minha escola (uma das…), onde estudei se é que aquilo era aprender, uma das mais decadentes formas de ensino que experienciei. Olhei-a de longe distante do que estava ali diante de mim, sobrevivi e estou aqui qual Forrest Gump, pronto para dar e apanhar pancada da boa, ao estilo do Ernest Hemingway, procurando a satisfação profissional ao estilo do grande Michael Jordan.

Termino dentro do estilo internacional, To be continue...