Número total de visualizações de página

terça-feira, maio 18

Receber beijinhos virtuais, quem não os recebe de vez em quando? Este mês recebi também, de quem? Ora pois, isso agora…

Não vem ao cerne e como tudo o que é feito ou tem feitio precisa ter um, vamos adiante.


Passam-se horas, dias, meses sem que reviva outros lugares, não porque não o queira ou não o saiba fazer. Até me considerava ser fortíssimo na matéria - mas isso era porque tinha direito ao meu tempo.

Às vezes sinto-me mais velho, sem que isso tenha realmente a conotação negativa que lhe queiram catalogar - quem sabe o que é ver os pais envelhecer sabe a que me refiro.


Este fim de semana saí de casa fui ver a noite em Luanda, fui conhecer-me ou dar-me a conhecer com pessoal daqui de Luanda, todos mais jovens do que eu, senti-me bem eram boa gente e queriam curtir a deles, quem não quer?

Onde é que eu ia? ..ah sim, porque é que me vou sentindo amadurecer. Sei que aprendi a ter medo, ou lidar com ele de alguma forma que nunca pensei antes imaginar, talvez seja da experiência de se viverem pequenos ideais ou assim, certezas de um vida de sucesso quem não as quer ter, uma história perfeita em que tudo se enquadra perfeitamente no final, qual novela brasileira.


Esse Brasil, esta Angola, aquele pequeno e tenso Portugal foram sempre coisas que aconteceram e vivi de perto, sem carácter de igualdade. Mas as coisas passam ou vão passando se nos deixar-mos ficar distantes ou vazios. E receber atenção ainda que virtual, ajuda a pintar quadros em branco nos momentos de maior espiritualidade confortando-me no vazio de avançar, para aonde?