Número total de visualizações de página

sábado, outubro 23

o vazio entre as estrelas..

Esse vazio entre as estrelas milhares de e se.., mas e porquês, seriam suficientemente grandes as interrogações para lhes preencher os espaços? Aqui fica mais uma.


Chegado por fim aqui, nesta noite deitado na minha cama temporária descansado admiro visualizo escolho e fixo uma estrela que posso ver lá fora a cirandar, na noite ouço os bichos perto do riacho que nos envolve em redor deste monte, neste monte no Alentejo miro o céu admiro o seu silencioso silencio passe a redundância, isso faz-me descer a mim outra vez.


A estrela que fixei ou fui acompanhando enquanto ela se fazia estrela pra mim, lentamente se vai desviando de mim, assim julgo eu, movendo-se para a minha direita escondendo-se de mim roubando-me o ângulo. A estrela que escolhi é a única que posso ver nesta posição é a minha estrela eu sei disso mesmo que ela não saiba ela não imagina como me preenche, se ela soubesse..


Vê-la ali assim de bem com a sua vida e curso é satisfação mais que suficiente pra quem apenas precisa de alguma paz de espirito por alguns momentos. Esse vazio tem fórmula para se preencher? Fica aqui mais uma pode ser que hoje haja mais estrelas no céu ao longo desta noite de inspiração literária.


Tudo se complica quando menos se espera ou se fazia prever, sei que se fosse no basquetebol ou no futebol seria um ligeiro avançar no terreno um simples detalhe que eu saberia qual era para melhor forma de me posicionar em campo, e confortavelmente partir para uma outra situação de jogo.


A estrela que escolhi, mais não minha, desapareceu do meu alcance não a posso mais ver ou ouvir pois as estrelas não falam talvez não queiram ou nem precisem mas sei que ela continua bem por lá, algures numa imensidão de outras estrelas mais estrelas com mais ou menos brilhos que a minha estrela, mas aquela fui eu que escolhi, eu estava ali e ela estava onde eu a podia observar naquele preciso momento onde as equações, as químicas e matemáticas se tornam anedóticas de decifrar, eu estava ali e ela em posição de ser observada por mim. Vai saber?


Ah, onde eu ia… mas isto não é um campo de basquetebol nem de futebol, sem árbitros nem treinadores, só nos temos a nós, os atropelos, manipulações, maldades, simulações somos nós quem paga por eles não tem quem possa adiantar grande coisa a essas verdades. O que fazemos de bem somos nós quem colhe e dá uso ou aqueles para quem semeámos essa vontade. Esse vazio entre as estrelas não existe em nada do que sabemos existir se tivermos em mente que temos a nossa estrela aquela que nos dá o que pensar, o que não fazer, o que melhorar.


..não é só de estrelas que se vive aliás ninguém vive de olhar as estrelas ou a lua, pelo menos quando se é adulto. Existem mais coisas pra nos fascinar ou dar, para a inspiração existe o mar rebelde ou traidor a quem pela sua constância é quase uma religião proveniente da ira ou tormenta e medo que causa aos homens comuns, existe ainda sempre forte o sol o centro deste universo, se é que há dois, igualmente nos dá alento aquece ilumina.


Esse vazio entre as estrelas sei que nunca o irei preencher sei do fardo que carrega quem o fizer, esse vazio entre as estrelas não me diz nada, prefiro procurar ou ter o jeito ou alma pura para que enquanto a noite perdure e o dia não nasça um simples movimento meu, meu. Não da rotação da terra em relação ao sol aos astros e o camandru um movimento meu, meu gesto um meu simples chegar pra esquerda me permita dizer lá vai ela outra vez… a minha estrela… caramba tanto blá, blá espera lá, mas será que.. esse vazio sou eu???